Emoções

Tempo de Leitura: 03 minutos


As emoções são estados internos que envolvem pensamentos, sensações, reações fisiológicas e comportamentos específicos, que são difíceis de controlar e surgem subitamente.

Existem algumas emoções que são comuns a todas as pessoas, independente da cultura, local ou época em que vivam: alegria, raiva, desagrado/nojo, medo, surpresa e tristeza. Alguns estudiosos também mencionam o interesse, vergonha, desprezo e culpa como sendo universais.

Elas surgem a partir dos nossos pensamentos. Dependem de como interpretamos as situações da nossa vida, assim como as pessoas, o mundo e a nós mesmos.

Gosto de pensar nelas como um sintoma e usar isso para entender os pensamentos por detrás de cada emoção. Porque dependendo de como estamos nos sentimos, conseguimos mais facilmente identificar o que estamos pensando. Isso nos ajudar a controlar o nosso estado emocional e nossas atitudes.

Por exemplo…

Suponhamos que você esteja na casa de algum conhecido, mas começa a não se sentir bem. Pensando sobre como está se sentindo consegue identificar que está com raiva de alguém que também está lá com você.

Quando tenta entender sobre o que despertou esta raiva, identifica que foi o fato, de aparentemente, esta pessoa ter te ignorado. Você chegou e ela não foi falar com você, como todos os outros fizeram.

Então você começa a sentir um misto de raiva e tristeza, o que faz com que você se sinta mal, mesmo estando em um ambiente muito agradável.

Você então decide ir falar com ela para perguntar por que não foi te cumprimentar. E ela te explica que estava no banheiro quando você chegou e não tinha te visto até o momento, já que o local está cheio.

A partir do momento em que você entende o que aconteceu, já não sente mais raiva e nem tristeza, e quem sabe até fique conversando com esta pessoa o restante da noite.

Muito provavelmente a sua emoção já não será mais de raiva e nem tristeza, mas sim de alegria.

O que também acontece neste processo é a aprendizagem. No exemplo que damos, na próxima vez que alguém não te cumprimentar talvez você pense: “será que ele me viu? Talvez tenha acontecido o mesmo que daquela outra vez…” E já não se sinta enraivecido ou triste.

Por isso é fundamental entendermos as nossas emoções para saber identificar de onde elas vêem e assim aprendermos a lidar com elas.

Se controle!

O que acontece muitas vezes é que reagimos às emoções e quase sempre não sabemos o porquê.

Choramos, rimos, nos afastamos de algo ou alguém, gritamos, cantamos, nos escondemos e não entendemos o que nos afeta, o que mexe com as nossas emoções.

Saber o que te afeta é fundamental para você controlar seus atos, seus pensamentos… o que se reflete diretamente nos seus relacionamentos, trabalho, saúde física, emocional e psicológica, e em todas as demais áreas da sua vida.

Então reflita sobre o que você tem pensado. Quais são os pensamentos que passam na sua cabeça sobre certas situações, pessoas e circunstâncias em que suas emoções se alteram. Isso é fundamental.

Você está passando por alguma situação em que suas emoções estão te prejudicando?
Vamos conversar?

Multiplique coisas boas!

Tempo de Leitura: 03 minutos


Já teve a sensação que quando surge um problema outros vários aparecem juntos? Ou quando você “engata”, várias coisas boas acontecem frequentemente?

Pois bem… vamos conversar sobre isso hoje!

Existe uma frase que diz o seguinte:  “Se você olha para o que você tem na vida, você sempre terá mais. Se você olha para o que você não tem na vida, você nunca terá o suficiente.” Oprah Winfrey.

Avalanche de problemas

A máxima que “coisa ruim só vem acompanhada” faz muito sentido quando se pensa pelo aspecto psicológico.

Às vezes, só aconteceu um problema, mas esse problema, altera tanto o nosso humor e mexe com algumas estruturas de pensamento, que começamos a valorizar mais pontos negativos da vida, do que os positivos. Então algo que nem notaríamos, começa a ganhar um tamanho muito maior do que realmente tem.

Isso pode acontecer porque nos fragilizamos, cognitivo e emocionalmente, com o primeiro impacto negativo, ficamos mais sensíveis ao restante do que nos acontece.

Se surge algo muito bom, talvez amenize o desconforto que passamos. Mas se é sucedido por algo neutro ou negativo, a situação pode crescer, tomar proporções maiores e consumir nossa energia emocional, fazendo com que tenhamos a percepção de que quando um problema acontece, vários outros o sucede.

Foco!

Criamos, durante toda a nossa vida, padrões de pensamentos, que em geral podem ser mais realistas, otimistas, ou pessimistas.

Quando um problema aparece, tendemos a ser mais pessimistas, devido a essa alteração no humor, que já mencionamos.

Mas você pode escolher o foco que quer dar às diversas situações da vida.

Esses padrões de pensamento pode ser treinados, praticados, exercitados, de modo que você consiga alterar a forma de perceber as coisas na sua vida. Claro que se você estiver passando por algum tipo de transtorno mental ou emocional, isso fica muito mais difícil, e em alguns casos graves, até mesmo impossível para aquele momento, e sem acompanhamento profissional. Mas em geral este treino é possível, sim!

Seja Grato!

Um dos maiores segredos para se multiplicar coisas boas na vida, é a gratidão.

Ser grato pode desenvolver a capacidade de se focar nas coisas positivas, mais do que nas negativas, e assim administrar muito melhor o que tem acontecido de ruim.

Uma ideia é fazer um POTE DA GRATIDÃO, no qual você pode colocar todos os dias, pelo menos 1 motivo por qual é grato. E quando as coisas estiverem difíceis, reler os momentos positivos que você passou.

Resultado de imagem para pote da gratidão

Fale muito!

Outra coisa que ajuda a valorizar as coisas boas é conversar sobre elas.

Fale muito com seus amigos sobre coisas positivas que tem acontecido com você. Não para se gabar, mas para que elas fiquem mais claras e ganhem importância.

Talvez, em alguns momentos, ignoramos o que acontece de bom, e só focamos no negativo, então fale mais sobre coisas boas.

Claro que você pode desabafar sobre seus problemas, mas não fique remoendo, falando disso sem parar e sem objetivo de encontrar formas de lidar com o que acontece. Mesmo se for para falar, saiba que o objetivo é desabafar, e ao se sentir melhor, busque alternativas para trabalhar a situação. Mas não fique nesse estado por muito tempo. Isso só faz o problema aumentar.

Mas existem situações que nos consomem mais, ou que é mais difícil administrar. Em casos assim, não sofra sozinho. Busque ajuda profissional.

Um psicólogo pode te ajudar a entender esses padrões de pensamento, a pensar, junto com você em alternativas para lidar melhor com o problema, e trabalhar os impactos emocionais que tem sentido.

Eu estou à disposição para te ajudar, se sentir essa necessidade. Vamos conversar?

Como a Ansiedade afeta o organismo

Tempo de Leitura: 04 minutos


Além de causar um prejuízo mental e emocional, a Ansiedade também pode te impactar de forma fisiológica.

Durante um episódio de Estresse ou Ansiedade o organismo se prepara para algo que a nossa mente considera perigoso, mesmo que nós encaremos essa ameaça de forma inconsciente, ou seja, sem nos darmos conta.

Para algo que nos ameaça, o corpo se prepara para dois tipos de reação: lutar ou fugir. Devido a essas reações, todo o organismo sofre alterações na sua estabilidade fisiológica.

Nos primeiros contatos com a Ansiedade

Quando nos estressamos ou ficamos ansiosos pela primeira vez o nosso corpo tenta assimilar o excesso de hormônios e neurotransmissores que produzimos para lutar ou fugir.

  • Problemas na Garganta – durante um pico de ansiedade, os fluídos do corpo são enviados para partes diferentes. A garganta fica seca, fica difícil de engolir, a voz fica aguda e estridente, e os músculos tensos.
  • Reações no fígado – quando o corpo produz mais cortisol (hormônio liberado quando estamos ansiosos ou estressados), o fígado produz mais glucose. Isso aumenta o nível de açúcar no nosso sangue. As pessoas com risco de diabetes, podem ter problemas com esse excesso.
  • Reações na pele – a resposta do organismo faz com que o fluxo sanguíneo aumente e se redistribua pelo corpo. Algumas pessoas ficam pálidas ou ruborizadas, suam frio.
  • Baço ativado – o corpo sente necessidade de mais oxigênio, e o baço descarrega mais glóbulos vermelhos e brancos. O organismo precisa de uma taxa de oxigênio de 300 a 400% a mais, para se preparar.
  • Tensão muscular – os músculos, preparando-se para lutar ou fugir, se tensionam. Pode-se ter dores pelo corpo.
  • Dor de cabeça, enxaqueca, dores nos ombros, dor na nuca – também são causados pela tensão muscular.

Efeitos a longo prazo da Ansiedade

Esses efeitos podem acontecer se você estiver passando por momentos de estresse e/ ou ansiedade de forma constante e com frequência.

  • Estômago – maior suscetibilidade a úlceras. Problemas de digestão, como refluxo, inchaço, diarreia, e até descontrole intestinal.
  • Sistema Imunológico – a defesa do seu organismo cai. Isso aumenta a ocorrência de doenças, infecções e inflamações.
  • Coração – problemas cardiovasculares, como arritmia, um risco aumentado de ataque cardíaco, devido à frequência cardíaca que fica constantemente elevada.
  • Pressão alta – o organismo necessita de uma pressão mais alta para essa reação de luta e fuga, mas a frequência em que a pressão sobe, deixa o corpo mais suscetível à hipertensão.
  • AVC – todas essas alterações também aumentam a probabilidade de acontecer um acidente vascular cerebral.
  • Pulmões – enfraquece a função respiratória.
  • Cérebro – sobrecarrega o sistema nervoso. Dificuldade para dormir ou ter uma noite de sono de qualidade. Alterações na estrutura e no funcionamento do cérebro. Perda de memória, tanto de coisas que vivemos a pouco tempo, como a muito tempo atrás. Dificuldade em se concentrar.
  • Pele – envelhecimento precoce da pele. Inchaço. Eczema.
  • Ganho de peso / Obesidade – geralmente, come-se mais durante episódios de ansiedade e o organismo têm dificuldade em processar o excesso de açúcar, como já mencionamos em relação ao Fígado.

A ansiedade é fundamental para nossa sobrevivência. Precisamos dela para reagir diante de uma situação de conflito, e até mesmo para nos impulsionar a realizar coisas importantes no nosso dia a dia. No entanto é fundamental estarmos atentos ao excesso dela na nossa vida.

Estar sempre submetido ao Estresse e Ansiedade pode realmente nos levar a quadros graves de saúde.

Fiz um vídeo com dicas práticas para você aprender a administrar a sua ansiedade. Assista

Mas se mesmo assim estiver difícil administrar tudo o que tem acontecido, e você tem se sentido muito estressado ou ansioso, me procure. Podemos trabalhar juntos para te dar uma qualidade de vida muito melhor!

Vamos conversar? 

Não deixe o medo te dominar

Tempo de Leitura: 02 minutos


Você já sentiu que estava preso por causa do medo? Teve a impressão que seus temores estavam te dominando e tirando de você coisas importantes da sua vida?

Arianna Huffington disse: “Não ter medo é como fazer musculação. Quanto mais eu me exercito, menor a chance de meus temores me dominarem“.

E psicologicamente falando, é exatamente assim que acontece.

Por algum motivo desenvolvemos medo, insegurança, receio de algo. Seja por experiências traumáticas, falta de confiança própria, problemas com a construção da nossa identidade, baixa autoestima, ou qualquer outra razão, começamos a temer.

Sim, eu tenho medos

Então nos vemos perdendo coisas importantes no meio do caminho pois, o medo tira de nós as oportunidades. Ficamos estagnados olhando a vida passar e paralisados com a possibilidade de algo dar errado.

Quando se está nessa situação, em que o medo é paralisante, o ideal é procurar ajuda psicológica, pois você pode estar com algum problema psicológico e/ou emocional.

Esse profissional pode te ajudar a enfrentar seus medos de acordo com os recursos que você tem, de forma que consiga superar, aos poucos, o que tem te prendido.

É fundamental você continuar fazendo os movimentos que conseguir.

Suponhamos que você tenha sido demitido e isso te causou uma grande insegurança profissional. Não se percebe competente, acredita que não conseguirá exercer suas atividades de forma satisfatória, etc.

Não permita que esta insegurança interfira em outras áreas da sua vida, como por exemplo a afetiva, social, acadêmica, dentre outras.

Se o seu problema é profissional, continue se movimentando, nas demais áreas, enquanto procura por ajuda.

Exercitando

Quanto mais você se movimenta, como por exemplo: atividades, se relaciona, faz exercícios físicos, cuida de si mesmo, está ativo no seu dia a dia, mais distante os medos ficam.

Estar em atividade pode deixar evidente que você é capaz de manter sua vida em funcionamento.

Cada vez que você se exercita, pode comprovar para si mesmo que é mais capaz do que imaginava, e então os medos começam a diminuir.

Eu já passei desse ponto

Mas infelizmente, em alguns casos, o medo é tão paralisante que interfere nas demais áreas da vida. Assim sendo, faça os movimentos que conseguir, como sair de casa, organizar o ambiente em que você vive, se relacionar com amigos mais próximos, e procure ajuda profissional o mais rápido possível.

Perceber que o medo tem que atrapalhado é importante, mas notar que ele está te paralisando é um sinal claro de que você precisa de ajuda para fazer essa musculação que a Arianna disse.

Algumas pessoas conseguem malhar sozinhas, outras precisam de um personal. Não é diferente no aspecto psicológico.

Se você tem notado que seu medo está muito intenso e que precisa de ajuda para continuar a vida normalmente, me procure. Vamos Conversar? 

Novos Desafios: Permita-se!

Tempo de Leitura: 04 minutos


A autoconfiança é fundamental para novos desafios. Se não acreditarmos que somos capazes, não teremos coragem e  motivação para tentar algo novo.

Oprah Winfrey disse: “É a confiança em nossos corpos e mentes que nos permite buscar novas aventuras”.

Não tenho autoconfiança

Muitas vezes podemos olhar para as nossas capacidades, esforços, limitações, defeitos, qualidades, e achar que não vamos conseguir atingir novos objetivos.

Mas, geralmente, esses pensamentos são construídos durante a nossa vida. Talvez você tenha ouvido que não era capaz, ou bom o suficiente. Ou quem sabe, tenha tido experiências que te fizeram duvidar de si mesmo. Isso pode distorcer a imagem que temos de nós.

Quem sou eu?

É fundamental lembrarmos que a opinião de alguém a nosso respeito, mesmo que sejam pessoas importantes pra nós, como pais, mães e cônjuges, não determina quem somos. Opiniões são pontos de vista, são somente opiniões…

Uma experiência ruim também não determina o seu potencial. Mesmo que tenha sido algo importante que te trouxe frustração. Uma experiência é somente um momento vivido. Existem milhares de outros instantes que vivenciamos durante a nossa existência.

Não deixe uma voz ou um momento definir como você se sente a respeito de si mesmo.

Olhando para si mesmo

Já conversamos sobre a possibilidade de você ser quem você sempre sonhou. Isso é real! Você pode!

Olhe para si, veja o que gosta e anote em um papel. Também reconheça o que precisa ser mudado. Vá atrás desses pontos específicos.

Torne-se a sua melhor versão!

Confie no seu corpo

Seu corpo, como todos os outros, têm limites a serem respeitados. Pense e cuide da sua saúde. Mas confie na sua força, na sua capacidade física.

Entenda quais são os limites, e respeite isso, porém não se atenha além do que é real. Não coloque para si cargas que você não precisa carregar.

Confie na sua mente

Da mesma forma que com o seu corpo, entenda quais são os limites da sua mente, e os respeite. Porém não fique com medo. Avance conforme notar, de forma objetiva, que você consegue.

Eu preciso de novos desafios

Todo ser humano precisa de motivação, de novos objetivos e desafios, sejam eles profissionais, sociais, afetivos, acadêmicos, familiares, etc.

É isso que nos move, que nos dá ânimo.

Então trace metas e objetivos para a sua vida. Tenha propósitos!

Coloque seus desejos no papel, esforce-se para alcançá-los.

Se sua meta for muito grande, estipule pequenos passos em direção a ela e se foque neles. Conforme for vencendo, a sensação de conquista vai se aprofundando e mais perto você estará do que deseja. Mas cuidado para não colocar metas muito grandes, acima do que seu corpo (parte física) e sua mente (parte emocional e psicológica) conseguem administrar, de uma vez, isso pode te desestimular.

Novamente: entenda o que você pode e não pode fazer, e no que consegue, dê o melhor de si.

Já tentei mas eu não consigo

Algumas pessoas têm alguns fatores que podem desencadear uma dificuldade extra sobre esse aspecto da vida.

Se você sente que parece que nada dá certo, que nada sai do lugar, que por mais que você se esforce não consegue alcançar suas metas, procure um profissional de psicologia.

Algumas dificuldades podem atrasar certas pessoas, como: transtornos mentais, problemas do ambiente em que vivem (relacionamentos, contextos sociais, etc.), baixa autoestima, relacionamentos abusivos, dentre outros.

Se está difícil demais sair do lugar, me procure. Eu estou à sua disposição. Vamos conversar?