Como a Ansiedade afeta o organismo

Tempo de Leitura: 04 minutos


Além de causar um prejuízo mental e emocional, a Ansiedade também pode te impactar de forma fisiológica.

Durante um episódio de Estresse ou Ansiedade o organismo se prepara para algo que a nossa mente considera perigoso, mesmo que nós encaremos essa ameaça de forma inconsciente, ou seja, sem nos darmos conta.

Para algo que nos ameaça, o corpo se prepara para dois tipos de reação: lutar ou fugir. Devido a essas reações, todo o organismo sofre alterações na sua estabilidade fisiológica.

Nos primeiros contatos com a Ansiedade

Quando nos estressamos ou ficamos ansiosos pela primeira vez o nosso corpo tenta assimilar o excesso de hormônios e neurotransmissores que produzimos para lutar ou fugir.

  • Problemas na Garganta – durante um pico de ansiedade, os fluídos do corpo são enviados para partes diferentes. A garganta fica seca, fica difícil de engolir, a voz fica aguda e estridente, e os músculos tensos.
  • Reações no fígado – quando o corpo produz mais cortisol (hormônio liberado quando estamos ansiosos ou estressados), o fígado produz mais glucose. Isso aumenta o nível de açúcar no nosso sangue. As pessoas com risco de diabetes, podem ter problemas com esse excesso.
  • Reações na pele – a resposta do organismo faz com que o fluxo sanguíneo aumente e se redistribua pelo corpo. Algumas pessoas ficam pálidas ou ruborizadas, suam frio.
  • Baço ativado – o corpo sente necessidade de mais oxigênio, e o baço descarrega mais glóbulos vermelhos e brancos. O organismo precisa de uma taxa de oxigênio de 300 a 400% a mais, para se preparar.
  • Tensão muscular – os músculos, preparando-se para lutar ou fugir, se tensionam. Pode-se ter dores pelo corpo.
  • Dor de cabeça, enxaqueca, dores nos ombros, dor na nuca – também são causados pela tensão muscular.

Efeitos a longo prazo da Ansiedade

Esses efeitos podem acontecer se você estiver passando por momentos de estresse e/ ou ansiedade de forma constante e com frequência.

  • Estômago – maior suscetibilidade a úlceras. Problemas de digestão, como refluxo, inchaço, diarreia, e até descontrole intestinal.
  • Sistema Imunológico – a defesa do seu organismo cai. Isso aumenta a ocorrência de doenças, infecções e inflamações.
  • Coração – problemas cardiovasculares, como arritmia, um risco aumentado de ataque cardíaco, devido à frequência cardíaca que fica constantemente elevada.
  • Pressão alta – o organismo necessita de uma pressão mais alta para essa reação de luta e fuga, mas a frequência em que a pressão sobe, deixa o corpo mais suscetível à hipertensão.
  • AVC – todas essas alterações também aumentam a probabilidade de acontecer um acidente vascular cerebral.
  • Pulmões – enfraquece a função respiratória.
  • Cérebro – sobrecarrega o sistema nervoso. Dificuldade para dormir ou ter uma noite de sono de qualidade. Alterações na estrutura e no funcionamento do cérebro. Perda de memória, tanto de coisas que vivemos a pouco tempo, como a muito tempo atrás. Dificuldade em se concentrar.
  • Pele – envelhecimento precoce da pele. Inchaço. Eczema.
  • Ganho de peso / Obesidade – geralmente, come-se mais durante episódios de ansiedade e o organismo têm dificuldade em processar o excesso de açúcar, como já mencionamos em relação ao Fígado.

A ansiedade é fundamental para nossa sobrevivência. Precisamos dela para reagir diante de uma situação de conflito, e até mesmo para nos impulsionar a realizar coisas importantes no nosso dia a dia. No entanto é fundamental estarmos atentos ao excesso dela na nossa vida.

Estar sempre submetido ao Estresse e Ansiedade pode realmente nos levar a quadros graves de saúde.

Fiz um vídeo com dicas práticas para você aprender a administrar a sua ansiedade. Assista

Mas se mesmo assim estiver difícil administrar tudo o que tem acontecido, e você tem se sentido muito estressado ou ansioso, me procure. Podemos trabalhar juntos para te dar uma qualidade de vida muito melhor!

Vamos conversar? 

Não deixe o medo te dominar

Tempo de Leitura: 02 minutos


Você já sentiu que estava preso por causa do medo? Teve a impressão que seus temores estavam te dominando e tirando de você coisas importantes da sua vida?

Arianna Huffington disse: “Não ter medo é como fazer musculação. Quanto mais eu me exercito, menor a chance de meus temores me dominarem“.

E psicologicamente falando, é exatamente assim que acontece.

Por algum motivo desenvolvemos medo, insegurança, receio de algo. Seja por experiências traumáticas, falta de confiança própria, problemas com a construção da nossa identidade, baixa autoestima, ou qualquer outra razão, começamos a temer.

Sim, eu tenho medos

Então nos vemos perdendo coisas importantes no meio do caminho pois, o medo tira de nós as oportunidades. Ficamos estagnados olhando a vida passar e paralisados com a possibilidade de algo dar errado.

Quando se está nessa situação, em que o medo é paralisante, o ideal é procurar ajuda psicológica, pois você pode estar com algum problema psicológico e/ou emocional.

Esse profissional pode te ajudar a enfrentar seus medos de acordo com os recursos que você tem, de forma que consiga superar, aos poucos, o que tem te prendido.

É fundamental você continuar fazendo os movimentos que conseguir.

Suponhamos que você tenha sido demitido e isso te causou uma grande insegurança profissional. Não se percebe competente, acredita que não conseguirá exercer suas atividades de forma satisfatória, etc.

Não permita que esta insegurança interfira em outras áreas da sua vida, como por exemplo a afetiva, social, acadêmica, dentre outras.

Se o seu problema é profissional, continue se movimentando, nas demais áreas, enquanto procura por ajuda.

Exercitando

Quanto mais você se movimenta, como por exemplo: atividades, se relaciona, faz exercícios físicos, cuida de si mesmo, está ativo no seu dia a dia, mais distante os medos ficam.

Estar em atividade pode deixar evidente que você é capaz de manter sua vida em funcionamento.

Cada vez que você se exercita, pode comprovar para si mesmo que é mais capaz do que imaginava, e então os medos começam a diminuir.

Eu já passei desse ponto

Mas infelizmente, em alguns casos, o medo é tão paralisante que interfere nas demais áreas da vida. Assim sendo, faça os movimentos que conseguir, como sair de casa, organizar o ambiente em que você vive, se relacionar com amigos mais próximos, e procure ajuda profissional o mais rápido possível.

Perceber que o medo tem que atrapalhado é importante, mas notar que ele está te paralisando é um sinal claro de que você precisa de ajuda para fazer essa musculação que a Arianna disse.

Algumas pessoas conseguem malhar sozinhas, outras precisam de um personal. Não é diferente no aspecto psicológico.

Se você tem notado que seu medo está muito intenso e que precisa de ajuda para continuar a vida normalmente, me procure. Vamos Conversar?