Metamorfose

   

        Tempo de Leitura: 2 minutos


A metamorfose da borboleta se dá em diversas fases: a fêmea coloca o ovo, o macho o fertiliza, a lagarta nasce, e, fica imóvel no que se chama de crisálida.

Depois de um tempo em silêncio, sem se alimentar, sem se mover, ela renasce em um novo formato, em algo que nunca foi, em um animal encantador.
Se um ser tivesse que ter crise de identidade este seria a borboleta, não?

Ovo – Lagarta – Crisálida – Borboleta… Quem ela é de verdade?
Será este um processo fácil? Indolor? Sem conflitos no caminho?

Esta é uma metáfora que, particularmente, me agrada muito, pois também penso na transformação de nossas emoções, de nossa mente, hábitos, pensamentos e ações …

Assim como o ovo, nascemos limpos de qualquer influência. Mas são estas mesmas influências que nos constituem como lagartas, a princípio.

As situações que nos são impostas pelas vidas, talvez nos transforme em crisálidas também. Mas ao final, serão nossas decisões que nos transformarão em borboletas.

Podemos ser belas, exuberantes, e poderosas. Ou fracas, feias, e inibidas.
Podemos também nem escolher passar por este processo, culpando sempre as situações que não estão ao nosso alcance, e, assim responsabilizar o que temos vivido ou sofrido.

A psicologia é muito importante neste processo de metamorfose. Muitas vezes ainda somos lagartas querendo nos transformar, mas não conseguimos.

Toda transformação é incômoda, dolorosa, algumas vezes demorada, mas sempre linda, gratificante, emocionante e extremamente realizadora, além de muito importante.

Na metamorfose humana, muitas vezes precisamos do auxílio externo para alcançar quem queremos ser e, fazer de nossas vidas o que sonhamos.

Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.” – Rubem Alves

Querendo ser uma borboleta? Vamos conversar? 

Uma resposta para “Metamorfose”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.